Resenha histórica

Resenha histórica

banner_resenha_historica

O Centro Social da Freguesia de Valadares constituiu-se como associação cultural e recreativa por escritura de 30 de Abril de 1981. Tinha como objetivo promover a animação cultural e recreativa das nossas gentes, divulgar os nossos valores, contribuir para uma melhoria na qualidade de vida da nossa comunidade.

Na sua secção cultural nasceu um grupo de danças e cantares, que é hoje uma entidade autónoma, denominada de Grupo de Danças e Cantares da Serra da Gravia;

No mesmo âmbito nasceu o Jornal/revista Ecos da Gravia, que é hoje um órgão de informação lido na região e por muitos dos nossos emigrantes um pouco por todo o mundo.

Na área desportiva destacamos as atividades realizadas em parceria com o Inatel e o atletismo que, durante alguns anos, reuniu no espaço comunitário muitas dezenas de pessoas, praticantes deste desporto.

De então para cá, através dos anos, Valadares foi palco de muitas, diversificadas e interessantes atividades: da música ao teatro, da dança ao desporto, dos jogos de entretenimento, das jornadas de convívio, das viagens organizadas, das palestras de formação, da aprendizagem contínua através da Educação de Adultos, etc. etc..

Ao longo dos anos sempre fez parte do objeto social da Associação e sempre foi preocupação das várias Direções a luta pela melhoria das condições de vida dos habitantes.

Daí nasceu A Feira da Laranja, iniciativa que conta já muitas edições e que pretende ajudar os agricultores e os artesãos a escoar os produtos da terra, nos quais se incluem os citrinos, que pela sua qualidade, dão nome a Valadares.

Com o envelhecimento da população e a fuga ao trabalho agrícola aumentaram as situações de carência e isolamento, sobretudo nos idosos, muitos sem qualquer retaguarda familiar.

Esta nova realidade e a falta de equipamentos ao nível de apoio à terceira idade, determinou a necessidade de transformação desta Associação numa IPSS.

Em 2000 foi atribuído ao Centro Social da Freguesia de Valadares o estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social.

Em 1 de Junho de 2005 arrancava o Serviço de Apoio Domiciliário com 20 utentes, resultante da aprovação do projecto Minha Casinha meu lar, no âmbito do PAII (Programa de Apoio Integrado a Idosos). Um mês depois passou a dar apoio a mais 10 utentes, no âmbito de acordo com a Segurança Social.

Esta resposta social permitiu promover uma melhor qualidade de vida e a manutenção do idoso no seu contexto sociofamiliar.

Mas, se ao tempo essa resposta social era a adequada à população abrangida, outro tempo trouxe outra realidade. A família alargada, que garantia a proteção dos idosos, esbateu-se. Com o modelo da família nuclear a assumir cada vez mais importância na sociedade e com o aumento do número de mulheres inseridas no mercado de trabalho tornou-se fulcral uma outra resposta para quem já não podia cuidar de si e assim surgiu a ERPI do Centro Social de Valadares – Casa dos Afetos.

O percurso desta Instituição demonstra que, ao longo dos seus 35 anos, esteve atenta aos sinais de mudança, olhando às necessidades das comunidades que serve, adaptando-se às novas realidades, tentando fabricar soluções.

A correspondente criação de emprego, como meio de combate à desertificação deste território, que se pretende sustentável, está presente nas preocupações do Centro Social de Valadares, que tem feito o possível para melhorar as condições de vida desta comunidade.